Atualmente, o serviço de migrar servidor para nuvem vem sendo muito difundido entre as empresas brasileiras devido às diversas vantagens que ele oferece.

Algumas das facilidades desse processo é a possibilidade das organizações adquirirem maior clareza em suas integrações, obter análises precisas e garantir mais segurança para os seus dados.

Contudo, apesar da onda de interesse, realizar a migração destes componentes de modo eficiente e evitar o máximo de riscos nem sempre será uma tarefa comum a todos. Por isso, é importante que alguns passos sejam seguidos. Acompanhe o artigo e descubra quais são eles.

Woclo Cloud Computing

1. Tenha um objetivo

Após a decisão pela contratação de um servidor em nuvem ser tomada, discuta com a sua equipe as necessidades da empresa e os motivos que levaram vocês a considerarem a mudança.

Isso contribuirá para ter uma definição e visão clara do objetivo central da estratégia e, assim, no futuro, medir se os resultados atingidos foram compatíveis ao investimento financeiro feito inicialmente e ao que foi previsto no momento de implantação.

Além disso, ter objetivos bem definidos ajudará a encontrar novas possibilidades caso o processo não esteja trazendo a resposta esperada.

2. Defina prioridades

Após definir um objetivo, é fundamental determinar o que será transferido para a nuvem imediatamente e o que ficará em segundo plano.

Em qualquer negócio existem aplicativos e arquivos que requerem maior segurança por conter informações valiosas. Então, dê preferência a eles na hora de migrar servidor para nuvem.

Também, crie uma lista com cada componente de acordo com sua complexidade de migração e seu tempo de retorno financeiro. Depois, priorize aqueles que demandarão menos tempo e os que trarão lucros imediatos. Com essas informações, você poderá construir um planejamento completo da mudança para a nuvem e acompanhá-lo até que esteja encerrado.

3. Examine a arquitetura do ambiente

Ao construir a arquitetura do ambiente em que os arquivos e os dados serão inseridos, é indicado que a empresa ou profissional de TI os organize pelo tipo de sistema.

Por exemplo, crie um módulo específico para o servidor de aplicações, um para o servidor de banco de dados, um para o servidor de documentos estratégicos, e assim para todas as soluções que ficarão em nuvem.

Isso permitirá que haja uma melhor disposição e visualização dos recursos que estão sendo utilizados, bem como o monitoramento de todos os componentes. Além disso, ficará mais fácil definir possíveis mudanças e também estabelecer os pontos de maior atenção.

4. Selecione um provedor

A contratação de um provedor requer muita atenção porque, diferentemente de outras negociações, se algo não sair como o planejado, os dados e serviços da sua empresa serão comprometidos.

Portanto, é imprescindível realizar uma pesquisa prévia sobre a reputação do fornecedor, verificar se ele oferece boas ferramentas, se a capacidade do provedor é suficiente para atender a sua demanda, se ele segue as normas do cloud computing e se soluciona todas as particularidades do seu projeto.

5. Planeje e crie a estrutura da sua rede virtual

Antes de iniciar a migração dos seus dados e aplicativos para o servidor em nuvem, prepare o ambiente que irá recebê-los, configurando-o de acordo com a sua rotina: defina as atualizações de software, o período de backups, as regras de controle, o cadastro de usuários e suas funções, e todos os recursos que serão primordiais para o bom funcionamento do projeto.

6. Faça testes antes de migrar servidor para nuvem

Muitos testes podem ser feitos durante a transferência de aplicativos em nuvem, porém, existem dois principais que te darão informações acertadas.

O primeiro é a inserção de dados irrelevantes no ambiente do provedor com o intuito de medir se ele está pronto para receber a carga completa da organização.

O segundo é feito para verificar o desempenho e a compatibilidade dos aplicativos a nuvem. Em alguns casos, o serviço deverá ser adaptado para manter o funcionamento que havia no servidor local.

Lembrando que, antes de desativar sua hospedagem off-line e liberar o acesso a toda a empresa, é essencial investir em um período de testes e correções de falhas.

7. Contrate uma equipe ou profissional qualificado

As tarefas de monitorar, controlar e analisar o desempenho da migração podem ser feitas tanto por seu fornecedor de cloud quanto por um colaborador interno.

Porém, é importante garantir que a equipe ou profissional apresente as qualificações esperadas para poder acompanhar os componentes na nuvem, prevenir danos e resolver possíveis problemas técnicos, em tempo real.

8. Tenha um plano B

Após seguir todos esses passos, é esperado que não surjam problemas na virtualização dos sistemas. Mas, para prevenir que não haja perda de informações importantes ou comprometimento em seus dados e aplicativos durante o uso do cloud server, tenha um plano de restauração ou um backup arquivado em um local seguro.

Como deve ter notado, migrar servidor para nuvem é um processo complexo, ainda mais quando não se tem muita habilidade com esse tipo de tecnologia.

No entanto, ao adotar as dicas citadas até aqui, sua empresa conseguirá realizar essa tarefa de maneira planejada e poderá aproveitar todas as vantagens em migrar o seu servidor local para nuvem.