A realidade das máquinas a cada dia sofre transformações. Hoje, os computadores, que antes apenas executavam tarefas pré-programadas, estão ganhando a capacidade de reservar informações e utilizá-las em atividades futuras de forma automática.

Sobre isso, é importante entender o que é computação cognitiva, um recurso que utiliza sistemas inteligentes de computação para imitar algumas habilidades do cérebro humano como, por exemplo, reconhecer padrões e processar linguagens.

Para saber mais sobre o conceito, suas aplicações e benefícios, acompanhe o artigo.

O que é computação cognitiva e quais benefícios essa tecnologia traz?

O que é computação cognitiva?

Devido ao alto volume de arquivos inseridos e transmitidos nos computadores e sistemas tradicionais, durante o crescimento do uso da internet, surgiram inúmeros problemas relacionados à interpretação de dados, até então, desconhecidos às soluções disponíveis na época.

A partir disso, houve a necessidade de buscar novas tecnologias capazes de extrair o significado dos dados de forma dinâmica e, ainda, tratá-los e utilizá-los de maneira otimizada.

Assim, nasceu a computação cognitiva, o estudo feito a partir das funções do cérebro humano e dos mecanismos da ciência da computação, para desenvolver sistemas tecnológicos aptos a adquirirem conhecimento através das experiências realizadas e das informações recebidas.

Diferença entre computação cognitiva, inteligência artificial e machine learning

Embora os termos caminhem lado a lado, no que diz respeito às inovações tecnológicas, é importante frisar as principais diferenças entre eles:

  • Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial (IA) utiliza dispositivos para imitar atividades naturais do ser humano, como o reconhecimento de voz e visão, o processamento de linguagem natural, a robótica, a otimização matemática, a computação neural, entre outros recursos.

  • Machine Learning

Já o Machine Learning é a ideia de que máquinas podem aprender sozinhas, a partir de padrões de dados e análises estatísticas. Com o estudo são criados mecanismos que oferecem respostas precisas ao usuário, com a menor chance de erro, sem a interferência humana.

  • Computação cognitiva

Agora, falando sobre a computação cognitiva, ela dá mais potência à Inteligência Artificial e ao Machine Learning, pois tem como o objetivo utilizar os benefícios dessas duas inovações de uma forma ainda mais eficaz.

Esse recurso permite que os dados sejam processados tal como o cérebro humano e, assim, consegue propor caminhos e soluções inteligentes para resolver problemas complexos.

Aplicações da computação cognitiva

Considerando a grande quantidade de dados e informações que uma empresa precisa gerenciar e os cuidados que deve assumir para que nada seja danificado, é imprescindível adotar sistemas de análises mais eficazes do que os tradicionais.

Assim, a computação cognitiva através da mineração dos dados, processamento de linguagem e a aprendizagem de máquinas poderá ser usada para identificar esses pontos de riscos.

Outro ponto é o excelente desempenho da tecnologia para fazer buscas rápidas em meio à muitos arquivos. Desse modo, a organização pode usá-la para ler e-mails, pesquisar sobre assuntos específicos na internet, ler artigos para obter informações e, a partir disso, manter seus serviços atualizados em relação às tendências do mercado.

Além disso, as aplicações desenvolvidas com base na computação cognitiva podem obter conhecimento conversando com pessoas, fazendo perguntas e formulando soluções e orientações que poderão ser aplicadas em ações posteriores.

Vale ressaltar que quanto mais o sistema cognitivo é usado, mais preciso e de melhor qualidade são seus resultados.

O recurso já vem sendo utilizado em diversos setores – financeiro, educação, saúde, varejo, entre outros -, que estão em busca de um serviço personalizado e adequado aos seus clientes.

Benefícios da tecnologia para empresas

Agora que sabe o que é computação cognitiva e as aplicações dessa tecnologia nas empresas, está na hora de conhecer os benefícios que ela traz para as organizações.

  • Uso de linguagem natural

Para dar mais humanidade às aplicações e incentivar os usuários a interagirem com elas, é possível adotar uma linguagem natural e comum nas interfaces da computação cognitiva.

Um case de sucesso a respeito disso é a empresa Go Moment, que para otimizar o atendimento oferecido aos seus hóspedes, desenvolveu em parceria com a IBM, um sistema que tira dúvidas, sugere pontos turísticos para o viajante visitar e conversa de maneira rápida e simples com o usuário.

  • Monitoramento de alto volume de informações

Outro benefício promovido pela computação cognitiva é a possibilidade de monitoramento de milhares de sensores incorporados ao meio em que vivemos, a fim de compreender situações adversas e propor mudanças.

A partir disso, foi criado o Watson Oncology, um programa feito para armazenar pesquisas de médicos especializados no tratamento do câncer, que funciona da seguinte forma: quando o paciente é diagnosticado, o profissional pode acessar um banco de dados, inserir as informações pertinentes e solicitar que um robô procure o melhor tratamento para cuidar daquele caso.

Um jeito prático para compartilhar conhecimento e agilizar a cura de doenças tão graves como o câncer.

  • Capacidade de decifrar dados não estruturados

Como já citamos ao longo do artigo, por meio de aplicações cognitivas é possível criar ferramentas que irão decifrar dados extraídos de e-mails, artigos científicos, textos e até chamadas telefônicas para buscar informações relevantes à empresa e padrões do público alvo.

  • Mobilidade das informações

Assim como a maioria das inovações tecnológicas, a computação cognitiva também leva as informações que recebe para a nuvem, por isso, todos os dados podem ser acessados de qualquer mídia, através de assistentes virtuais ou painéis digitais.

Dessa forma, o usuário consegue conversar, a qualquer hora, com uma máquina inteligente que vai tirar dúvidas e solucionar problemas, com o melhor conteúdo.

  • Prevenção de danos e riscos

Por último e não menos importante, a computação cognitiva é um recurso capaz de prever riscos e prevenir danos dentro das organizações.

Um exemplo do serviço foi a implementação do Watson, sistema de computação cognitiva da IBM, em uma corretora de seguros japonesa para realizar a análise de riscos no setor de atuação da empresa.

Após uma configuração inteligente, a solução pôde prever indícios de ameaças relacionados aos serviços da corretora e, assim, evitar prejuízos futuros.

Com todas as informações fornecidas até aqui, esperamos que tenha esclarecido o que é computação cognitiva e se interessado ainda mais pelo assunto.